domingo, 30 de julho de 2017

Cemitério à luz do dia

Cemitério à luz do dia
Beatriz Vargas Ramos
Junho, 2017

Em que momento eu passei a obedecer?
Quando foi que eu perdi a rebeldia
Minha arrogância de inconformada
Quando?
Em que momento eu me adaptei
E sepultei a revolução em mim?
A revolução de mim.
Ponho na conta dos anos
A servidão que pratiquei
- Covarde -
Experiência como resiliência
Mentiras
Que conto de mim pra mim.
Jogo jogado
- Merda! -
Perdi
Me perdi.
Na mesma casa dos mesmos sonhos
Sonhos que já não sonho
Casa-labirinto
À procura de mim
O cemitério à luz do dia
Coleção de esculturas
De mim.